PM assassinado nesta terça foi homenageado por Marcello Siciliano

Mais uma morte violenta, ocorrida nesta terça-feira, em Brás de Pina, na Zona Norte do Rio, ronda o vereador Marcello Siciliano (PHS), apontado por uma testemunha como um dos supostos mandantes do assassinato de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Morto com diversos tiros, inclusive na cabeça, quando saía do serviço, o sargento da PM Luiz Felipe de Castro Moraes foi homenageado, em novembro do ano passado, por Siciliano com uma moção de congratulações da Câmara do Rio.

O texto da moção ressalta a “responsabilidade, ética e comportamento exemplar” do policial, que trabalhava no batalhão de Olaria. O Disque-Denúncia está oferecendo recompensa de R$ 5 mil para quem tiver pistas dos assassinos do sargento.

No início de abril, Carlos Alexandre Pereira, que atuava como colaborador de Siciliano, também foi morto a tiros na Taquara, Zona Oeste do Rio.

A informação de que a testemunha ligou o vereador à morte de Marielle e Anderson foi divulgada nesta terça pelo jornal O Globo. Siciliano nega qualquer participação no crime.

Um comentário

Deixe uma resposta