Com crise na Saúde, prefeitura contrata empresa de ex-candidato a vereador para limpar hospitais

Enquanto pacientes sofrem com problemas no atendimento, a crise na Saúde da cidade do Rio também está sendo uma oportunidade para um jovem empresário expandir seu negócio. Trata-se do ex-candidato a vereador pelo PPL de Araruama, no litoral fluminense, Lucas Gomes da Silva, o Lukinhas Gomes, de 25 anos.

Apesar de não ter declarado nenhum bem ou dinheiro em conta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2016, quando obteve apenas 120 votos, sua empresa, a LG da Silva Serviços Combinados, conquistou, no último dia 13, um contrato de R$ 6,3 milhões sem licitação da Secretaria municipal de Saúde da gestão Crivella. Nos próximos seis meses, ficará responsável pela limpeza e conservação de oito unidades hospitalares.

A empresa de Lukinhas, na verdade uma microempresa, foi aberta em abril de 2018. E, em março deste ano, registrou na Junta Comercial uma mudança de capital social para R$ 1 milhão. O blog conseguiu conversar rapidamente na tarde desta quinta (19) com o jovem por telefone. Ele admitiu que o contrato com a prefeitura do Rio é o primeiro de vulto com o setor público e que servirá para alavancar as atividades da empresa. “Estou agora com um escritório na Barra (da Tijuca)”, disse.

Lukinhas pediu para que as perguntas fossem enviadas por e-mail. A reportagem, por sua vez, solicitou as respostas até 10h desta sexta (20), mas não houve retorno. O texto será atualizado caso cheguem os esclarecimentos.

Licitação suspensa em Araruama

No site da Receita Federal, a sede da LG da Silva ainda está registrada numa sala na Avenida Getúlio Vargas, em Araruama. Antes de conquistar o contrato emergencial com a Secretaria municipal de Saúde do Rio, a empresa concorreu numa licitação da prefeitura da cidade da Região dos Lagos. O pregão, porém, foi interrompido, após abertura de procedimento no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Houve questionamentos da própria LG da Silva em relação à forma de condução da licitação por parte do município de Araruama. O valor previsto para o contrato era de até R$ 9,7 milhões para a contratação de profissionais de conservação e limpeza. De acordo com a ata do pregão, a empresa de Lukinhas Gomes foi eliminada porque o atestado de capacidade técnica não condizia com o que previa o edital, “por não comprovar o porte do serviço prestado”.

O blog enviou uma série de questões para a Secretaria municipal de Saúde do Rio a respeito da contratação da LG da Silva sem licitação, de maneira emergencial. A pasta foi perguntada a respeito de que outras empresas participaram do levantamento de preços e dos atestados técnicos apresentados para o serviço de R$ 6,3 milhões, em meio à crise na Saúde. As respostas foram enviadas após a publicação da reportagem e foram incluídas no fim do texto, em uma atualização nesta sexta à tarde.

Ex-ministro afastado representante

Na licitação de Araruama, quem representou a empresa foi o advogado Helton Yomura. Ele ficou conhecido no ano passado após ter sido afastado do cargo de ministro do Trabalho pelo STF no âmbito da Operação Registro Espúrio. Segundo a Polícia Federal, políticos e servidores teriam cometido fraudes na concessão de registros sindicais. Yomura era ligado à ex-deputada Cristiane Brasil e a seu pai, Roberto Jefferson. Cristiane anunciou este mês, aliás, sua pré-candidatura à Prefeitura do Rio.

Em nota ao blog, Helton afirmou que “não possui qualquer vínculo societário ou comercial com a citada empresa. E que como advogado, especialista em Direito Público, foi contratado para atuar pontualmente para a empresa LG da Silva prestando assessoria jurídica em uma licitação no município de Araruama, em 2019”.

Sobre a Operação Registro Espúrio, o advogado afirmou que “o processo encontra-se na fase inicial de instrução na Justiça do Distrito Federal” e reiterou sua inocência.

Inspirações políticas

Na capa de sua página no Facebook, Lukinhas Gomes aparece numa foto abraçado com o vereador Carlos Alberto Russo (Avante), que já foi presidente da Câmara de Araruama.

Nas eleições de 2016, o ex-deputado estadual Coronel Jairo gravou um vídeo de apoio a Lukinhas. O então candidato a vereador classificou o parlamentar como seu “grande líder político”.

O blog entrou em contato com o vereador Jairinho, líder do governo Crivella na Câmara do Rio e filho de Coronel Jairo, que disse que nem ele nem o pai veem Lukinhas há mais de dois anos. Segundo ele, os últimos contatos que tiveram foram nos corredores da Alerj, que o ex-candidato a vereador costumava frequentar.

Oito unidades de Saúde

O blog não teve facilidade para chegar até Lukinhas. Os telefones da LG da Silva que constam no site da Receita Federal são de uma empresa de contabilidade de Araruama. Num celular, um contador disse que o último contato que teve com o jovem foi na época da alteração do capital social da empresa, no início do ano. “Depois, ele sumiu”, afirmou.

A reportagem conseguiu o telefone do advogado Helton Yomura, que então repassou um pedido de entrevista a Lukinhas. O empresário ligou de um número não identificado e, depois de uma breve conversa, pediu para que as perguntas fossem mandadas por e-mail. Não houve resposta até o horário combinado.

No meio da crise na Saúde do Rio, a LG da Silva Serviços Combinados está responsável pela limpeza e conservação dos hospitais Maternidade Fernando Magalhães, Paulino Werneck, Francisco da Silva Telles, Jurandyr Manfredini, Instituto Juliano Moreira, Maternidade Herculano Pinheiro, CAP 3.3 e Policlínica Alberto Borgeth.

O que diz a prefeitura

A Secretaria municipal de Saúde enviou nota afirmando que “como todo contrato emergencial, o celebrado com a LG da Silva Serviços Combinados se deu para garantir a continuidade dos serviços prestados, essenciais para o funcionamento das unidades de saúde, tanto da rede hospitalar, quanto da Atenção Primária”.

A pasta informou ainda que “a empresa apresentou a documentação técnica necessária, que foi analisada e aprovada, inclusive, pela Procuradoria Geral do Município”.

Oito empresas participaram do levantamento de preços, segundo a prefeitura: Agile Corp, Atrio-Rio, HB Multiserviços, Leste & Sudeste, LG da Silva Serviços Combinados, RDL Asseio, Sol Serviços Empresariais e T&S Locação de Mão de Obra em Geral.

*Foto em destaque: Banner da campanha de Lukinhas Gomes nas eleições de 2016 / Reprodução / Facebook

**A reportagem foi atualizada às 14h15m desta sexta (20), com os esclarecimentos da prefeitura do Rio

Deixe uma resposta