Secretário Lucas Tristão em CPI na Alerj

Conforto em viagem a Londres de Lucas Tristão custa R$ 14 mil a mais para o estado

Às turras com a Alerj por causa da informação de supostos dossiês que teriam sido produzidos contra os deputados da Casa, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Institucionais, Lucas Tristão, decidiu de última hora fazer uma viagem a Londres. O objetivo foi participar de uma comitiva, liderada pelo vice-governador Cláudio Castro, que foi ao Reino Unido para dois dias de reuniões.

A partida do Galeão foi na noite da última quarta (12), e o retorno está previsto para a noite deste sábado (15). Um bate e volta que vai custar caro para os combalidos cofres do governo estadual. Só as passagens do secretário custaram um total de R$ 24,1 mil. A viagem, no entanto, poderia ter saído bem mais em conta, não fosse a opção por dar mais conforto a Lucas Tristão.

Os bilhetes mostram que o estado pagou R$ 11.757,53 para que o secretário viajasse de classe executiva do Rio para Londres pela empresa KLM. Na volta, o valor ficou em R$ 12.352,06 por um assento econômico premium da British Airways.

Em pesquisa para datas semelhantes, o blog constatou que, caso Lucas Tristão viajasse de classe econômica na KLM, o estado pagaria cerca de R$ 4,3 mil. Na volta, pela British, o valor da econômica normal não passaria de R$ 5,5 mil. Ou seja, o conforto a mais custou ao cofres públicos – lembremos que o Rio segue em Regime de Recuperação Fiscal – R$ 14,3 mil.

Primeiro dia perdido

Os documentos que constam em um processo público do governo estadual revelam que realmente tudo foi decidido de última hora. Na quarta (12), o assessor especial da vice-governadoria Vinícius Sarciá Rocha encaminhou o convite para que Lucas Tristão participasse da comitiva de uma viagem que começaria naquele mesmo dia.

A passagem de ida mostra que o voo de Lucas Tristão tinha previsão de chegada em Londres às 16h30m de quinta (13), o que praticamente inviabilizaria a participação do secretário em qualquer uma das reuniões do primeiro dia da comitiva na Inglaterra. A agenda mostra que o último evento programado começaria exatamente às 16h30m.

Ou seja, os R$ 24,3 mil só de passagens serviram apenas para que o secretário pudesse participar de metade dos eventos programados.

Perguntas no ar

Pelas regras em vigor no estado, o governador Wilson Witzel e seus secretários também têm direito a diárias de viagem que, no caso de eventos na Europa, são de US$ 460.

O blog pediu uma série de esclarecimentos ao governo, sem sucesso:

  • Quantos e quais membros havia na comitiva?
  • Quais os objetivos da missão?
  • Todos os integrantes terão direito a diárias?
  • A missão está agendada desde quando? Foi um convite do governo britânico?
  • Por que somente no último dia 12 o secretário Lucas Tristão foi convidado para participar da comitiva? 
  • Qual o padrão de passagens no governo estadual?

A título de exemplo, uma reportagem publicada no blog no mês passado mostrou que o secretário de Agricultura Marcelo Queiroz tinha ido a um congresso em Paris ao custo total de R$ 10,6 mil, menos da metade dos gastos só com as passagens de Lucas Tristão.

Indicação barrada na Alerj

Advogado que fez carreira no Espírito Santo, o secretário de Desenvolvimento Econômico é considerado um dos homens fortes do governo de Wilson Witzel, que passou parte da carreira como magistrado atuando em território capixaba.

Como o blog revelou no mês passado, foi de Lucas Tristão a indicação do engenheiro Bernardo Sarreta – dono de uma pequena empresa de reformas no Espírito Santo – para ocupar uma das vagas na Agenersa, agência reguladora que, entre outras funções, está encarregada da fiscalização da Cedae.

Sarreta acabou rejeitado pela Alerj após demonstrar desconhecimento do tema durante uma sabatina realizada na Casa. Foi a primeira vez em 15 anos que os deputados vetaram uma indicação do Executivo. O nome terminou sendo descartado por Witzel.

Crise com a Alerj

Lucas Tristão saiu em viagem para Londres no meio de uma crise entre ele e a Assembleia Legislativa. Tudo começou com um requerimento de informações do presidente da Casa, André Ceciliano, ao governador sobre uma suposta espionagem de deputados por integrantes do Executivo.

Ceciliano chegou a dizer em plenário que ouviu do próprio Lucas Tristão a afirmação de que o secretário teria dossiês sobre os parlamentares.

Nos últimos dias, a situação se agravou. Nesta quinta (13), a Comissão de Tributação da Alerj decidiu pedir ao MP que investigue a possível existência de grampos contra autoridades públicas, como deputados estaduais e desembargadores. 

O governo vem negando categoricamente qualquer investida neste sentido. Nesta segunda (10), José Luiz Corrêa da Silva, do Gabinete de Segurança Institucional de Witzel, redigiu um documento interno afirmando que não há “atuação fora dos limites previstos na Legalidade”.

*Foto em destaque: Secretário de Desenvolvimento Econômico Lucas Tristão durante CPI da Distribuição de Gás na Alerj / Rerprodução / TV Alerj

Um comentário

  1. Tenho certeza que foi um dinheiro gasto para participação dele em um evento de grande valia para o governo, onde ele agregaria conhecimento para usar em prol das políticas aplicadas no estado.

Deixe uma resposta