OS ligada a novo secretário de Saúde se cadastrou para fornecer serviços médicos ao Estado do RJ

Alçado ao cargo de secretário estadual de Saúde nesta segunda (22), o coronel do Corpo de Bombeiros Alex da Silva Bousquet é diretor de uma Organização Social (OS) que está cadastrada desde o dia 25 de novembro do ano passado no Sistema de Compras Públicas para fornecer serviços médicos para o próprio governo do Estado do Rio. Trata-se do Instituto Elisa de Castro, que é presidido pelo irmão de Alex, André da Silva Bousquet.

Em documentos que constam no próprio Sistema Eletrônico de Informações (SEI) do governo, Alex aparece como diretor médico da instituição, classificada como “prestadora de serviços terceirizados”. O oficial do Corpo de Bombeiros também aparecia no próprio site da entidade identificado com este cargo. A página saiu do ar, porém, na noite desta segunda, após a colunista Berenice Seara, do jornal Extra, ter divulgado em suas redes sociais que o nome do coronel estava lá.

Em nota, a Secretaria de Saúde afirmou que “jamais firmou contratos com o Instituto Elisa de Castro e que não há registros de concorrência da OS a processos da pasta”. “O secretário Alex Bousquet informa que, após convite para assumir a pasta, solicitou imediatamente sua saída do quadro da instituição e que a OS cancelará o pedido de credenciamento junto à secretaria. Além disso, informa que a Organização Social nunca teve qualquer atuação pública ou privada”, conclui.

Mãe no conselho

Apesar de não ter assinado nenhum contrato até agora, a entidade já demonstrava ter essa intenção desde o início do ano passado. Em documento de 5 de janeiro de 2019, logo após o início da gestão de Wilson Witzel, foi eleito um conselho de administração com quatro integrantes para “representar o Instituto Elisa de Castro perante os órgãos e secretarias do governo do Estado do Rio”.

Entre os quatro integrantes “de notória capacidade profissional e reconhecida idoneidade moral” estava a mãe do coronel Bousquet, Bertolina da Silva Bousquet, que também é sócia do filho numa empresa chamada BLZ 90 Holding Aquisições e Participações, fundada em 2014.

Segundo o site da Receita Federal, a entidade já existe desde 2003. Mas as articulações para que ela efetivamente entrasse em atuação se intensificaram a partir do fim de 2018. No dia 27 de outubro daquele ano, o Instituto Elisa de Castro publicou seu estatuto social consolidado que compilava as regras da instituição.

Comissão de seleção

Apesar de anunciar agora que irá se afastar da OS, Alex da Silva Bousquet não é apenas funcionário comissionado do governo estadual, sendo também servidor efetivo do Corpo de Bombeiros há 20 anos. Sua remuneração bruta em maio foi de R$ 20 mil.

Em março do ano passado, o novo secretário de Saúde chegou inclusive a participar de uma Comissão de Seleção de uma Organização Social que passaria a administrar um pronto-socorro e uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que atendem a detentos do Complexo Penitenciário de Gericinó.

Também fazia parte da comissão o ex-superintendente da Secretaria de Saúde Gustavo Borges da Silva, que está preso por suspeitas de participação na compra de respiradores superfaturados durante a pandemia.

A vencedora da seleção foi a Associação Filantrópica Nova Esperança (AFNE), que, conforme o blog mostrou em agosto do ano passado, já teve como diretor um vereador de São Gonçalo.

Homenagens

As homenagens que o novo secretário de Saúde recebeu nos últimos anos mostram que ele é bem visto no meio político. No fim do ano passado, o oficial do Corpo de Bombeiros foi contemplado com a Medalha Tiradentes, maior honraria concedida pela Alerj, por iniciativa do deputado Jair Bittencourt (PP).

Em 2016, ele já havia recebido o Conjunto de Medalhas Pedro Ernesto, homenagem equivalente da Câmara de Vereadores do Rio. O proponente foi Alexandre Isquierdo (DEM), que contou com o apoio de outros 16 colegas, entre eles até Carlos Bolsonaro, atualmente no Republicanos.

Já em agosto do ano passado, Bousquet recebeu uma moção de louvor na Alerj de Gustavo Tutuca (MDB). Logo em seguida, em dezembro, ele ganhou uma promoção por merecimento de tenente-coronel para coronel médico do Corpo de Bombeiros.

Nas eleições de 2014, o atual secretário de Saúde doou R$ 10 mil para a candidatura a deputado federal do também oficial dos Bombeiros Lauro Cesar Botto Maia, conhecido como Lauro Botto.

Assim como Bousquet, Botto também já foi homenageado na Alerj pelo deputado Gustavo Tutuca, mas com a Medalha Tiradentes, no fim de 2018. Ele é irmão do advogado Luis Gustavo Botto Maia, acusado pelo Ministério Público de ocultação de provas no suposto esquema de rachadinha que envolve o senador Flávio Bolsonaro.

*Foto em destaque: Imagem da campanha do estado “Virando o jogo na Saúde”

Um comentário

Deixe uma resposta