Ex-suplente de Crivella emplaca pastores para cuidar da pesca no governo Witzel

Cota do Partido Republicano Brasileiro (PRB) no governo de Wilson Witzel, o ex-senador Eduardo Lopes, bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, emplacou dois pastores em cargos-chave da Secretaria estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, pasta que comanda desde o início da atual gestão. Lopes havia sido senador durante os dois últimos anos, entrando como suplente da vaga de Marcelo Crivella, assim que ele assumiu a prefeitura do Rio.

A presidência da Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio (Fiperj) foi dada a Francisco Vicenildo Medeiros, mais conhecido como Pastor Vicenildo, também ligado à Universal. Ainda na Fiperj, o assessor “institucional e internacional” é Helvio Costa de Oliveira Telles, conhecido como Pastor Helvio Costa, da Assembleia de Deus.

Ambos construíram boa parte da carreira política em São Gonçalo, segundo maior colégio eleitoral do Rio. Vicenildo teve passagens ecléticas pelo Executivo: na cidade da Região Metropolitana do Rio, foi secretário de Pesca, mas também atuou como subsecretário de Assistência Social. Em Itaboraí, foi secretário de Segurança Pública.

Pastor Vicenildo, como se identificava nas urnas, fez uma tentativa de ser vereador em São Gonçalo, em 2012, mas não conseguiu se eleger. Teve pouco menos de 4 mil votos. À época, dos R$ 53 mil da campanha, usou cerca de R$ 27 mil para confeccionar material gráfico na Editora Universal LTDA. Crivella gravou um vídeo de apoio, mas que não surtiu o efeito desejado.

Já o assessor institucional e internacional da Fiperj, Helvio Costa, teve o auge de sua carreira política no ano passado, quando foi candidato a vice-presidente na chapa de Eymael (Ey, ey, eymael, o democrata cristão…). A dupla ficou em penúltimo lugar no primeiro turno entre as 13 chapas que concorreram. Helvio é bacharel em Direito e em Teologia e diretor da Faculdade Cristã do Brasil. É autor do livro “Como viver uma fé vitoriosa”. Vinha atuando como consultor de recuperação e gestão empresarial.

Além dos dois pastores, a cúpula da Fiperj ainda tem Assuer Junior, como assessor da Presidência. Ele tentou uma candidatura a deputado estadual pelo PSC, em 2010, mas teve apenas 959 votos. Em 2012, tentou concorrer a uma vaga para vereador, em Campos, pelo PDT, mas, de acordo com o site do TSE, teve sua candidatura indeferida. Assuer ainda foi presidente do PEN em Campos. A assessoria contábil e de programas é do advogado Bruno Capeto Hammerschmidt.

“Um péssimo governo”

A presença de Eduardo Lopes no governo Witzel mostrou um apaziguamento nas relações entre ele e o prefeito Marcelo Crivella, deixando a Secretaria de Agricultura e Pesca como cota do PRB no governo. Crivella chegou a ser ministro da Pesca no governo Dilma. O próprio Lopes também passou pela pasta.

Durante a campanha do ano passado, Witzel chegou a afirmar num debate, ao ser pressionado pelo adversário Eduardo Paes, que Crivella estava fazendo “um péssimo governo desde que começou”. “Isso eu reconheço, tentei ajudá-lo, inclusive, mas, infelizmente, está fazendo um péssimo governo”, afirmou.

*Foto em destaque: O atual presidente da Fiperj, Pastor Vicenildo, faz campanha para Marcelo Crivella, em 2014 / Crédito: Reprodução/Facebook

2 comentários

Deixe uma resposta